Câmara começa legislatura; discursos pregam entendimento com Mauro Mendes m conciliador, mas em defesa da independência

A Câmara Municipal de Cuiabá deu início aos trabalhos da nova legislatura em sessão solene na manhã desta segunda-feira (4),  com tom conciliador em relação ao o Poder Executivo. A sessão contou com a presença do prefeito Mauro Mendes (PSB).

Os parlamentares tentam amenizar o clima, após os enfrentamentos feitos ao longo do mês de janeiro, como a polêmica em torno do aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

O presidente João Emanuel (PSD) sinalizou que o objetivo é que o poder seja independente, mas sem oposição sistemática.

“Queremos mostrar para a sociedade que essa é uma nova fase da Câmara. Vamos apoiar o que for bom para Cuiabá, mas com independência”, afirmou, em seu discurso.

O vice-presidente Onofre Junior (PSB) seguiu a mesma linha do colega e falou em apoiar as boas iniciativas do Executivo, mas sem subserviência.

Ele demonstrou, em seu discurso, disposição de se reconciliar com o prefeito Mauro Mendes (PSB), após ter se rebelado contra ele e ajudado a eleger João Emanuel presidente da Câmara.

Por conta disso, Onofre e seu colega de bancada Faissal Calil são alvos de um processo interno, que pode culminar na expulsão de ambos do partido.

“Tenho orgulho de ter ajudado a eleger o Mauro Mendes prefeito. Não tenho dúvidas que o PSB vai caminhar unido, mas com consciência, pois não há mais espaço para subserviência. Não podemos aprovar projetos polêmicos e contrários ao regimento sem discutir”, afirmou.

Ele disse, ainda, que a ação que a Câmara moveu contra o aumento do IPTU foi “em nome da legalidade, e não por perseguição ao Executivo”.

Marcrean dos Santos (PRTB), do grupo oposicionista, lembrou que é preciso respeito entre os dois poderes, mas com independência.

Chico 2000 (PR), que pertence à base aliada de Mendes, ressaltou que a eleição da Mesa Diretora já passou e que, agora, é o momento de trabalhar com consciência.

O vereador Adevair Cabral (PDT), que também pertence à base, disse, em seu discurso, que os vereadores têm que trabalhar unidos em prol do povo.

O vereador Toninho de Souza (PSD) aproveitou para negar que o grupo oposicionista torça contra a administração de Mauro Mendes. “Ele é o nosso prefeito, e o sucesso do Mauro Mendes será o sucesso de todos nós. Tenho certeza que nenhum vereador vai torcer contra ele”, disse.

“O prefeito entendeu que a eleição já passou, pois, até mesmo ,escolheu um adversário — Carlos Brito (PSD) – para compor seu staff. Porém, ele precisa compreender também que a eleição da Mesa já passou. Nós fomos dizer a ele que queremos ajudar Cuiabá, mas parece que a mensagem não foi compreendida”, afirmou.

O prefeito adotou o mesmo tom conciliador em seu discurso. “Tenho certeza que os 25 vereadores dessa Casa vão se pautar pelo melhor para Cuiabá. O Parlamento é o local para uma discussão plural de ideias e posicionamentos, pois isso é a democracia. Quero contar com esta Câmara para fazer o bem ao povo cuiabano”, disse.

Descentralização de poder

O presidente João Emanuel reafirmou, também, em seu discurso, uma das suas principais promessas em sua campanha pela Mesa Diretora – a desconcentração de poder dentro do Legislativo cuiabano.

“Vou fazer uma gestão compartilhada. Mudaremos o regimento interno para trazer mais transparência e democracia para a Câmara”, disse.

O vereador disse que, ainda na terça-feira (5), pretende ter a primeira reunião do colegiado para discutir a pauta de votação da Câmara, nos mesmos moldes do Colégio de Líderes da Assembleia Legislativa.

O vereador Domingos Sávio (PMDB) cobrou as promessas de autonomia, e ressaltou a importância de que os vereadores tenham o direito de pedir vistas dos projetos, para avaliá-los individualmente.

Fonte: Mídia News