Aureo diz que o Conselho Federal de Medicina deve lutar para preservar a vida e não incentivar a prática do aborto

Vice-presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida – Contra a Legalização do Aborto, o deputado Aureo disse ter sido uma surpresa muito negativa a posição anunciada pelo Conselho Federal de Medicina – CRF defendendo a liberação da prática do aborto até o terceiro mês de gravidez.

A legislação atual só permite a interrupção da gravidez em caso de estupro, risco de morte para a mãe e conforme decisão do Supremo Tribunal Federal – STF, em casos de anencefalia.

Para Aureo, a proposta do CRF é ainda pior do que a apresentada por um grupo de juristas que elaboraram um anteprojeto para a reforma do Código Penal. No anteprojeto, a proposta permite que as mulheres façam o aborto até o terceiro mês, desde que com um laudo médico. No caso da posição do Conselho, isto não seria necessário.

– As duas propostas são absurdas. A vida começa desde a concepção e a lei já prevê as exceções. Não podemos permitir que o aborto seja utilizado como forma de contraceptivo. Se faltam vagas para as mulheres que desejam ter seus filhos com segurança na Rede Pública, teremos para um aborto seguro? Ora, entendo que os médicos fazem um juramento para defender e preservar a vida acima de tudo. A intervenção do Conselho é inoportuna. Este, deveria sim, exigir melhores condições de trabalho nos Hospitais Públicos, defender que o Estado preveja vagas, não só para os partos, mas também para que as mulheres tenham direito a um pré-natal seguro. Deveriam sim protestar contra médicos que, apesar de ganharem para atender nos Hospitais Públicos, faltam ao trabalho para atender em consultórios e clínicas particulares. Por que o CRF não faz uma campanha em favor da adoção? – sugere o deputado federal.

A Frente Parlamentar em Defesa da Vida – Contra a Legalização do Aborto fará uma série de manifestações e convocará os membros do Conselho Federal de Medicina para prestarem esclarecimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA