Atendendo a um convite do Conselho Diretor da Universidade Federal do Tocantins, o vereador Luzimar Coelho (PRTB) participou na tarde da última quarta-feira (27) de reunião para apresentar o Projeto de Lei que institui no âmbito de Araguaína o curso pré-vestibular gratuito. Além de professores, coordenadores, representante do quadro administrativo e dos estudantes, esteve também presente o diretor do campus da UFT em Araguaína, Luis Eduardo Bovolato.

De acordo com o parlamentar, o objetivo era apresentar a proposta ao Conselho que, por sua vez, analisaria a viabilidade de a universidade ser parceira na implantação do pré-vestibular gratuito. Na oportunidade, Luzimar explicou a proposta, formalizou o convite de parceria e pediu a colaboração do Conselho propondo emendas para melhor atender a finalidade do projeto.

“Nosso objetivo não é apenas elaborar um Projeto de Lei, aprovar na Câmara e ser sancionado pelo prefeito. Primeiramente vamos conversar com os parceiros, discutir alterações e acertar os detalhes para que o Projeto não fique engavetado”, disse o parlamentar.

O Projeto

De acordo com a proposta, as aulas serão ministradas pelos acadêmicos dos últimos períodos dos cursos de licenciaturas, orientados pelos professores, e ainda contará como horas para o estágio supervisado obrigatório. O Pré-vestibular atenderá principalmente alunos da rede pública de ensino.

Ainda segundo Luzimar Coelho, o projeto só será votado após passar pelo crivo da sociedade, embasado nas discussões e análises com todos os parceiros. “Já apresentamos a proposta ao Conselho da UFT, depois discutiremos com os Centros Acadêmicos, alunos de ensino médio, com a prefeitura através da Secretária Municipal de Educação e, para concluir, vamos apresentar o projeto ao prefeito Ronaldo Dimas”, disse.

Conforme o parlamentar, esses debates visam adequar o Projeto de Lei à realidade de Araguaína para que atenda os anseios dos jovens que lutam por uma vaga nas universidades. “Este não pode ser um projeto morno, expressando apenas a vontade do vereador. Tem que ser um projeto que envolva toda a sociedade. Estou lançando a semente. Ela está começando a germinar. E para que dê bons frutos é preciso que todos participem na sua elaboração”, destacou.

Ainda conforme Luzimar, se o projeto fosse votado sem discutir com os parceiros e estudantes, se tornaria apenas mais uma Lei sem executividade. “Esses debates servem inclusive de respaldo para defender a ideia no Plenário da Casa de Leis”, finalizou.

Fonte: AF NOTÍCIAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here