Câmara terá audiência pública sobre obra de revitalização do Rio Camaçari

No dia 25 de abril haverá audiência pública na Câmara Municipal para discutir as alterações na obra de revitalização e urbanização do rio Camaçari. A deliberação foi tomada nesta terça-feira (09/04) em atendimento ao requerimento 086/13, de autoria do vereador Jorge Curvelo (DEM). O pedido do democrata específica ainda a necessidade do secretário de Infraestrutura, Everaldo Siqueira, estar presente no evento. “Os cidadãos estão tendo duvidas quanto a área que hoje integra o projeto”, explicou o parlamentar.

Rio-Camaçari

Na parte da sessão em que os vereadores têm 15 minutos para abordar qualquer tema, Oziel (PT) presenteou os colegas legisladores com um “broche” cor de rosa. A iniciativa foi uma homenagem ao Dia Mundial do Combate ao Câncer.

A saúde municipal também foi discutida. Vários vereadores cobraram medidas efetivas para a área. “A cidade tem recursos, mas as ações não estão sendo tomadas”, pontuou Jorge Curvelo. Na mesma linha, Sessé Abreu (PRTB) informou que está na hora de pensarmos em melhorias, muitas vezes uma pessoa sofre um acidente e não tem cirurgião vascular no HGC”, pontuou.

O vice-presidente da Câmara, Jackson (PV), avaliou que a situação do HGC vem piorando. O edil citou o caso de uma pessoa que deu entrada na última sexta feira e só foi atendido segunda feira à noite”. Junior Borges (DEM) lembrou que parte dos problemas são recorrentes. “Nas sessões são informados valores repassados à saúde. Portanto, o problema não é financeiro, precisa de um plano emergencial. O problema deve ser de gestão”, ponderou.

Na opinião de Elinaldo (DEM), as necessidades são gerais. “Não é somente com o HGC”, completou. Pastor Neilton (PSB) disse que “a população tem aguardado resposta, temos que cobrar e só sossegar quando o assunto for resolvido”.

Por fim, Otaviano Maia (PT) avisou que informou a unidade de saúde de Barra do Jacuípe ao lado de Wilton de Ferrinho (PRTB). “Não tem medicamentos, médicos faltam e funcionários chegam atrasados”. O líder do governo na Câmara, Marcelino (PT), deu conta de que 350 médicos atuam nos postos da cidade. Se eles não estão indo trabalhar, é por falta de comando. Sei que tem gente que trabalha muito, já tem outros que não fazem o mesmo”, pontuou.

Fonte: Visão Diária

DEIXE UMA RESPOSTA