Vereadora Taniery Cantalice (PRTB) Caxias (MA)

A presidente da Câmara Municipal de Caxias (MA), vereadora Ana Lúcia Ximenes (PT do B) bateu o martelo e determinou que a Comissão de Educação, Saúde, Assistência Social e Trabalho, conclua em 15 dias o relatório sobre as denúncias de merenda com prazo de validade vencido, que estaria sendo servida aos alunos da escola Pedro Neiva de Santana, no povoado Brejinho.

Vereadora Taniery Cantalice (PRTB) Caxias (MA)
Vereadora Taniery Cantalice (PRTB) Caxias (MA)

O assunto foi tema principal da sessão legislativa desta quarta-feira (22). Apenas três vereadores não compareceram à Casa: Jerônimo (PP), Catulé (PSB) e Benvinda (PMDB), os dois últimos justificaram ausências à presidência do Parlamento.

A denuncia de merenda estragada foi revelada pelas vereadoras Taniery Cantalice (PRTB) e Benvinda, que na semana passada estivem na unidade de ensino onde teriam sido flagrados alimentos com prazos vencidos. Daí em diante, as duas parlamentares levaram o assunto ao conhecimento da Policia Federal, Ministério Público Federal e Estadual e imprensa e devem oferecer denuncia nos próximos dias aos Tribunais de Contas do Estado e da União.

Durante a sessão desta quarta-feira, com o plenário lotado, por mais de duas horas, oposição e situação da base de apoio ao prefeito Léo Coutinho (PSB), se revezaram nas acusações e defesas do caso.

A vereadora Taniery Cantalice usou o grande expediente para reafirmar as denuncias. Já os vereadores Ronaldo Chaves (PRB) e Mário Assunção (PPS), tentaram desqualificar sem sucesso, as acusações com base em um relatório assinado pela diretora do colégio Pedro Neiva, onde acusa as duas parlamentares de invasão ao centro de ensino e subtração dos produtos em questão. Já o vereador Antonio Luís (PSB), taxou a atitude das colegas de parlamento de sensacionalista e acusou as mesmas de terem exposto o assunto na mídia antes de procurar os setores competentes.

No entanto, em determinado momento o vereador Luís Lacerda (PPS), afirmou que fez visita posterior ao colégio e constatou que o feijão servido aos alunos apresentava fungos, possivelmente por ter sido armazenado de forma inadequada.

No caso da merenda estragada a vereadora Taniery Cantalice, que é formada em direito, disse não ter transgredido nenhuma lei e que fez apenas o papel de legisladora, que é fiscalizar.

Ela adiantou que já esteve em audiência na delegacia de policia, onde a diretora do colégio registro BO contra ela e Benvinda, por invasão, e que as provas materiais: fotos e filmagens, apresentadas ao delegado, foram contundentes para o encerramento do caso e adiantou que vai buscar na Justiça reparação por danos e calúnia contra à gestora educacional.

Entenda o caso:

Na quarta-feira (16), as Vereadoras Benvinda (PMDB) e Taniery (PRTB)  visitaram a Unidade Escolar Municipal Pedro Neiva de Santana, localizada no povoado Brejinho. Ao adentrarem a cozinha e a dispensa da escola, constataram uma grande quantidade de merenda estragada, que segundo as vereadoras, tinham sido recebidas mês passado e estavam sendo servidas aos alunos. Entre embalagens de feijão, fécula de milho e outros alimentos perecíveis que estavam armazenados em local inapropriado. Alguns gêneros apresentaram prazo de validade vencido em janeiro.

Na sessão de Segunda-feira (20) em que iria ser discutido esse caso, os vereadores da base governistas boicotaram a sessão. Com a falta de quórum, a sessão não foi realizada. Adiando o caso para a sessão de quarta-feira(22).

Fonte: Noca