Em reunião na segunda-feira, o presidente Michel Temer determinou que seus ministros privilegiem cerca de 330 parlamentares na distribuição dos recursos de emendas parlamentares, em troca de votos pela reforma da Previdência. Segundo estimativa do próprio governo, os projetos indicados por esses parlamentares ainda têm R$ 1,9 bilhão a receber até o fim do ano.

O presidente do PRTB, Levy Fidelix, criticou a barganha de votos: “Será que o Temer tem que pagar quase 2 bilhões para que os deputados votem com consciência, convicção, ideologia?”. E criticou: “1 bilhão e 900 milhões de reais para comprar ideologia, para comprar cabeças”.

Levy Fidelix sugeriu a Temer, Rodrigo Maia e Meirelles que “façam o dever de casa”, levantando os grandes devedores, como Vale, Petrobras, BB, Bradesco, Itaú, Rede Globo. “Pegue esse povo e mande pagar primeiro. Recebe essa grana, e depois você vai saber o déficit real”. Para o presidente do PRTB, o governo está optando por tratar as dívidas dos grandes devedores como irrecebíveis, “e agora vão então penalizar quem pagou o INSS a vida toda, a pessoa que contribuiu a vida toda para ter um mínimo para sobreviver, já que a qualidade de vida não existe em nosso país e agora vai trabalhar mais”.

Com informações do site “Folha Política” em http://www.folhapolitica.org/…/temer-seduz-deputados-com-r1…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here