“Querem acabar com o Brasil! Perversão a serviço dos banqueiros Illuminati, ateus e comunistas. Isso precisa ter um fim imediatamente, pois usam dinheiro do próprio povo, das famílias, contra as próprias famílias! Chega! Somente uma intervenção militar, ou um civil com caráter e formação militar, dará jeito neste bando de sem-vergonhas. Por isso, irei postular a Presidência da República em 2018”, defende Levy Fidelix

O presidente do PRTB, Levy Fidelix, se manifestou sobre a “performance” realizada no MAM-SP, que escandalizou a sociedade ao estimular crianças a tocarem um homem nu. A exposição já é alvo de inquérito pelo Ministério Público de São Paulo, que pode vir a responsabilizar os organizadores, artistas, e a mãe da criança que foi exposta ao público.

“Primeiro, foi o Santander com pedofilia e zoofilia, uma exposição altamente conturbada. Agora, o MAM, financiado pelo Itaú, repete e piora o escândalo”, salienta.

“Veja, não se trata de nu artístico”, explica Levy Fidelix. “Ao contrário, o intuito é estimular as crianças a tocarem um homem adulto nu, naturalizando esse contato. Isso não é arte, é crime puro e simples. E os bancos estão financiando essa degradação. Tudo isso foi arquitetado por banqueiros nacionais e internacionais. A intenção é depravar a sociedade aos poucos, tornar normal o que não é normal”, argumenta.

Levy Fidelix enfatizou o fato de a exposição ser financiada com dinheiro público, com recursos advindos de renúncia fiscal do banco Itaú, através da Lei Rouanet.

Para Fidelix, não é coincidência que outras exposições que escandalizaram a sociedade também tenham sido financiadas por bancos: “Eles querem testar a reação da sociedade, acostumar as crianças com essa depravação. E usam dinheiro público para isso!”. “Onde estão o presidente Temer, o Ministro da Cultura e o Ministro da Educação neste momento? Tomaram Doril?”, questiona.

De acordo com os dados do Salic, o MAM captou em 2017 um total de R$ 6.477.359,00. Deste montante, R$ 4.000.000,00 (61,75% do total) foram destinados pelo Itaú, sendo R$ 3.500.000,00 por meio de diversas empresas (Cia Itaú Securitizadora, Itaú Administradora de Consórcios, Itaú Vida e Previdência) e R$ 500.000,00 por sócios e acionistas do banco: Alfredo Egydio Arruda Villela Filho (principal acionista do Itaú, R$ 50 mil), Helio Seibel (sócio-diretor da Duratex, controlada pelo Itaú, R$ 50 mil), Israel Vainboim (ex-executivo do Unibanco, o qual se fundiu com o Itaú em 2008, R$ 50 mil), Jean Marc Robert Nogueira Baptista Etlin (vice-presidente do Itaú BBA, R$ 50 mil), Maria de Lourdes Egydio Villela (presidente do MAM, R$ 50 mil), Paulo Egydio Setúbal (sócio e herdeiro do Itaú, R$ 50 mil), Salo Davi Seibel (presidente do conselho da Duratex, controlada pelo Itaú, R$ 50 mil), Sérgio Ribeiro da Costa Werlang (diretor-geral do Itaú, R$ 50 mil), além da Cia E. Johnson de Participações, a qual reúne os quatro sócios do Itaú (R$ 50 mil), e da Companhia Ligna de Investimentos, a qual reúne os irmãos Seibel (R$ 50 mil).

O político não poupou críticas. “Perversão canalha e cretina a serviço dos banqueiros Illuminati. Isso precisa ter um fim imediatamente, pois usam dinheiro do próprio povo, das famílias, contra as próprias famílias! Chega!”, concluiu Levy Fidelix.

Com informações do site “Correio do Poder” emhttp://www.correiodopoder.com/…/09/se-eu-fosse-presidente.h…