O PRTB, partido coligado ao PSL na chapa Jair Bolsonaro para presidente da República e General Hamilton Mourão para vice-presidente, vem esclarecer o seguinte sobre as aleivosias proferidas pelo cantor/compositor Geraldo Azevedo, e ainda informar que abrirá processo por declaração difamatória do mesmo, contra o mui digno Mourão.

Tal nota se impõe fazê-la perante o eleitorado brasileiro que, diuturnamente, sofre com informações distorcidas pelos meios de comunicação e mídia em geral. É incongruente a afirmação de Geraldo Azevedo, que diz que foi torturado pelo aqui declarante, por volta de 1969.

O atual candidato a vice-presidente nem sequer havia entrado no Exército neste ano. E sim, era aluno do Colégio Militar, em Porto Alegre, com apenas 16 anos.

Trata-se, portanto, de uma fake news, no desespero de se criar fatos novos pelos simpatizantes da chapa concorrente de Fernando Haddad e aliados.

A coligação PRTB/PSL, diante de tamanho descalabro e inverídica notícia, aguarda da população brasileira e da mídia em geral a devida maturidade para considerar tamanha descompostura por parte de seus difamadores, que tentam confundir o eleitorado brasileiro, hoje, mais do que nunca, convicto da opção por Jair Bolsonaro e General Mourão, seja no 1o ou no 2o turno.

Quanto à questão da repercussão das frases do candidato Haddad, que reproduz tais fakes, nos pronunciaremos oportunamente.

Assinado:
Levy Fidelix – presidente nacional do PRTB
General Hamilton Mourão – candidato à vice-presidência na coligação PSL/PRTB